Paróquia

Santa Rosa de Lima

Notícias da paróquia › 07/06/2018

Aos dizimistas

Prezado(a) dizimista,

Já estamos encerrando o primeiro semestre do ano e tudo parece um pouco acelerado pela rapidez com que o tempo passa, mas olhando para trás, vemos quantas coisas aconteceram no dinamismo da vida. Sem dúvida uma das coisas que marca profundamente esse período é a crise social pela qual passamos e que parece se intensificar cada vez mais. Sem dúvida, todos estamos muito preocupados com tudo o que está acontecendo.

Diante dessa preocupação e de acordo com as possibilidades que tenho de acompanhar pessoas, em todas as idades e condições sociais, carrego uma preocupação a mais que partilho com vocês, na esperança de que possamos estar um pouco mais atentos. As notícias sobre a situação do país são muitas e decorrem de várias fontes, são transmitidas por vários canais, além dos meios televisivos e nos chegam a todo e qualquer momento do dia ou da noite. Especialistas de várias áreas oferecem uma análise para a situação e, talvez, possíveis soluções. De fato, não dá para ignorar essa situação perturbadora, aliás, ainda que isso fosse possível, não estaria de acordo com a nossa fé, que vai do pessoal ao comunitário e vice-versa. Como cristãos, devemos estar comprometidos com os direitos humanos, com o bem de todos, com o respeito a dignidade e tudo o que segue os ensinamentos de Cristo. No entanto, minha preocupação é o impacto que o volume de notícias causa nas pessoas. Parece que o desespero, o medo, a raiva e outros sentimentos tomam conta de uma forma violenta, que gera agressividade e desequilíbrio. Sim, não devemos cruzar os braços, mas não resolver correr e gritar sem rumo, atropelando tudo e todos, machucando os outros e machucando a si mesmo. Por mais difícil que seja, é preciso buscar o discernimento, ter paciência, refletir com calma sobre o que pode e deve ser feito.  É preciso estar atento às manipulações de quem usa o povo sem estar preocupado com as necessidades da população e ocasiões como esta são muito propícias para que essas forças exercitem suas manobras.

Recomendo que sejamos todos cautelosos diante das notícias, não repassem nem julguem as informações sem uma reflexão mais cuidadosa, evitem contaminação e a proliferação de maus sentimentos, estejamos atentos ao que falamos, aos nossos gestos e atitudes, para não alimentarmos nem reproduzirmos a violência no âmbito de nossas relações. Sei que essas recomendações não são fáceis, mas acredito que podem trazer algum benefício neste momento crítico. Recomendo igualmente uma oração mais pausada, um espaço para ouvir a voz de Deus que fala aos corações aflitos e angustiados e envia seu Espírito que renova todas as coisas.

Que sintamos todos o quanto, em toda e qualquer situação, somos acolhidos e amados por Cristo Jesus, Nosso Senhor!

Pe. Sergio Lucas e Pastoral do Dízimo

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *