Paróquia

Santa Rosa de Lima

Mensagem do pároco › 07/08/2018

Palavra Amiga – Agosto

Santidade e profetismo

 

No início do mês de julho tive a alegria de participar de um encontro no interior de São Paulo, no qual a espiritualidade era uma das temáticas de reflexão. Foi uma experiência enriquecida pela partilha de vários tópicos relativos á vivência da fé cristã, entre os quais discutiu-se sobre espiritualidade e profetismo, a partir da Sagrada Escritura e do testemunho de vida de alguns místicos da tradição da Igreja.

Confesso que nunca havia parado para pensar na grande proximidade que existe entre espiritualidade e profetismo. Desconfio que haja um entendimento generalizado sobre espiritualidade como algo parecido com a capacidade para uma vida harmonizada consigo mesmo, com Deus e com o próximo, num equilíbrio encantador e profundo conhecimento da vontade do Pai, nos ensinamentos do Filho, sob o impulso do Espírito. No meu entender essa compreensão não está errada, porém, devemos considerar outras possibilidades para o entendimento da espiritualidade.

Numa tentativa de ampliação, identificamos alguns aspectos que complementam a descrição e um deles é o desafio de articular espiritualidade e profetismo, a partir da Bíblia. A começar pela capacidade para um viver em harmonia, diria que toda e qualquer situação de injustiça já é em si mesma um confronto à harmonia interior. É difícil alguém estar em paz, em harmonia, quando presencia ou convive com situações que desrespeitam a dignidade humana. Nossos profetas, desde o Antigo Testamento, foram pessoas que saíram do seu cotidiano para denunciar as injustiças do seu tempo. Devemos pensar também que se espiritualidade se relaciona com o conhecimento da vontade de Deus, nos ensinamentos de Jesus, temos clareza a todo instante do quanto Jesus confrontava a injustiça – “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10), atento aos sofrimentos do povo – “Vinde a mim todos vós que estais cansados e eu vos darei descanso” (Mt 11,28). Existem, portanto, uma numerosa referência na Bíblia sobre a relação entre espiritualidade e profetismo, que nos ajuda a perceber o dinamismo da espiritualidade na vivência da fé cristã.

Logo, cultivar a espiritualidade envolve o recolher-se, o silêncio, a escuta, a leitura orante e também o olhar para as injustiças, seguido da reação profética em defesa dos mais fracos e oprimidos, descobrindo na oração a melhor forma de ajudá-los e reagir às artimanhas do mal que agridem a dignidade humana.

Pe. Sergio Lucas

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *